Coordenador : Daniela Leles de Souza
Ano: 2017
Publico Alvo : Primordialmente alunos de escolas da rede pública infantil, fundamental e ensino médio. Contudo, secundariamente as atividades trabalhadas nas escolas também devem atingir aos professores dos alunos, bem como pais/responsáveis e pessoas próximas aos mesmos, uma vez que o conhecimento adquirido poderá ser disseminado por esses em conversas com outras pessoas ou até mesmo despertar vocações científicas.
Local de atuação: MIP
Resumo
No Brasil há uma deficiência na popularização da ciência, pois embora o país tenha um grande desenvolvimento científico tecnológico, a população ainda não possui amplo acesso a este conhecimento nem a apropriação do mesmo, uma vez que este se encontra restrito a meios de comunicação específicos da área e com uma linguagem inacessível ao público leigo. O projeto busca divulgar a ciência em escolas públicas com o uso de linguagem adaptada e com o uso de uma metodologia lúdica no intuito de acabar com a sensação de marginalidade social acerca do que vem sendo produzido nos centros de pesquisa, facilitando assim a alfabetização científica de crianças e jovens. Mais especificamente, o projeto busca divulgar a Paleoparasitologia, sua história e importância através de oficinas específicas à cada seguimento de ensino, contendo atividades específicas para cada faixa etária, mostrando que as doenças também podem ser estudadas em populações antigas e animais extintos. Além da importância da Paleoparasitologia a escolha desse tema se deve ao fato desta linha de pesquisa ter sido nomeada por pesquisadores brasileiros, e por desenvolverem muitas pesquisas na área. De forma secundária busca-se utilizar o lúdico para incentivar a apropriação do conhecimento científico e o apreço pela ciência nos estudantes da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio, utilizaremos o projeto como um meio de incentivo ao estudo da ciência e ao ingresso no ensino superior.