Coordenador : Mônica Almeida Tostes
Ano: 2017
Publico Alvo : Pacientes com problemas sistêmicos - pacientes com necessidades especiais
Local de atuação: MOC
Resumo
Na Universidade Federal Fluminense existe o atendimento do paciente infantil na disciplina de odontopediatria, entretanto pacientes com algum comprometimento sistêmico não eram atendidos. Ao aluno de graduação era furtada a oportunidade ao conhecimento e ao paciente, facultado o atendimento odontológico. Esses pacientes eram então, encaminhados a centros de referência ou instituições, que obviamente estão saturados e não estão localizados na cidade de Niterói. A partir das modificações e condições enfrentadas esses indivíduos podem possuir algum impacto negativo em sua saúde e qualidade de vida. No entanto a qualidade de vida possui um conceito subjetivo e multidimensional que perpassa pela percepção do indivíduo ou de seu cuidador (dependendo da capacidade de resposta do paciente). Condições que gerem dor, incômodo, desconforto, ou insatisfação podem impactar negativamente a qualidade de vida do mesmo englobando as esferas física, psicológica e social. Deste modo, o conhecimento e entendimento da qualidade de vida relacionada à saúde bucal em um determinado grupo possui a função de avaliar, aperfeiçoar e promover ações educativo-preventivas e de recuperação a fim de fornecer condições favoráveis e de conforto aos indivíduos. Sendo, portanto, o objetivo deste estudo avaliar a qualidade de vida dos pacientes com necessidades especiais atendidos em uma clínica de reabilitação na cidade de Niterói – RJ, bem como o possível impacto gerado na mesma pela associação de fatores determinantes e condicionantes da saúde bucal.