Coordenador : Maria de Lourdes Goncalves Ferreira
Ano: 2018
Publico Alvo : O público alvo são tutores de cadelas e gatas trazidas para atendimento no Hospital Universitário de Medicina Veterinária Professor Firmino Marsico Filho durante a vigência do projeto e, no dia do evento a ser realizado no Campo de São Bento em Niterói, os frequentadores do local que estejam acompanhados de cães e gatos. Todos serão abordados pela equipe do projeto com intuito de informar sobre a importância da prevenção e conscientização do cancer de mama em cadelas e gatas.
Local de atuação: MCV
Resumo
Os tumores mamários são comumente diagnosticados em cadelas e gatas, especialmente entre aquelas não submetidas à esterilização cirúrgica em idade precoce. Dentre os tumores diagnosticados os mais encontrados são carcinomas que são tumores malignos originados do tecido epitelial mamário. O risco de desenvolvimento de tumores mamários em cadelas é de 0,5% em animais castradas antes do primeiro cio; 8% quando a esterilização for realizada após o primeiro cio e de 26% quando esse procedimento é feito após o segundo cio. Os animais submetidos à castração após os dois anos e meio de idade não necessariamente podem ser beneficiados pelos efeitos profiláticos da esterilização. Nas gatas a maioria das neoplasia são malignas tornando importante o diagnóstico precoce da doença. O tratamento do câncer de mama em cadelas e gatas baseia-se na remoção cirúrgica das mamas. Nos casos de tumores malignos com propensão de metástases, recomenda-se quimioterapia complementar (adjuvante) com intenção de aumentar o tempo livre da doença. A campanha não busca só divulgar a prevenção da doença em cadelas e gatas mas em alertar os proprietários que cães e gatos são mamíferos e que podem desenvolver doenças semelhantes as observadas no ser humano e que a melhor arma contra o câncer é a informação. No caso do câncer mamário em cadelas e gatas o toque (exame físico) é tão fundamental no diagnóstico precoce para elas quanto na mulher.