Coordenador : Andréa Neiva da Silva
Ano: 2018
Publico Alvo : Alunos e alunas de odontologia de todos os períodos, a saber, do primeiro ao nono período
Local de atuação: MSS
Resumo
O curso de Odontologia tem uma trajetória histórica liberal, elitizada e tecnicista, o que definiu, por muitas décadas, o perfil de formação do dentista e, ainda hoje, apresenta-se menos inclusivo socialmente, mais hierarquizado e menos democrático. Assim, uma formação mais humanística é necessária, para que possamos ter estudantes e profissionais de saúde que exerçam a alteridade e a relação ética com o outro. Estudo recente dentro da Faculdade de Odontologia da UFF identificou que as vivências dos estudantes ao longo do processo de formação são permeadas de conflitos éticos, desrespeitos, violências e reprodução de preconceitos e exclusão social, fazendo parte da construção da identidade moral e profissional destes estudantes. Contudo, ainda não existe nenhum espaço no qual o estudante possa ter voz e se apresente como agente em sua vida acadêmica. Prevalece uma estrutura rígida, mantenedora de uma conformação verticalizada no curso, onde tais questões se mantêm veladas ou são naturalizadas e até legitimadas. Portanto, este projeto de extensão tem como objetivo estabelecer um espaço de voz, no qual os estudantes de odontologia possam debater, elaborar argumentos éticos e construir coletivamente propostas de ação. Como resultado, espera-se que sejam desencadeadas propostas de ação transformadoras dos processos de formação profissional, entendendo o estudante como um protagonista deste processo. Tais ações poderão ser de natureza educativa, reguladora, política, social e/ou assistencial. Desta forma, incluem-se elaboração de cartas, documentos, realização de fóruns, ação em jornada, comissão de ética, reuniões, entre outros, bem como a busca por serviços de apoio ao discente na universidade.