Coordenador : Hayda Josiane Alves
Ano: 2018
Publico Alvo : Adolescentes e jovens de 10 a 24 anos, estudantes da Escola Municipal Profa. América Abdalla, Rio das Ostras, RJ. Membros da equipe técnico pedagógica da referida instituição. Estudantes de graduação dos Cursos de Enfermagem, Serviço Social e Psicologia.
Local de atuação: RIR
Resumo
A gravidez na adolescência (GA) ocorre em indivíduos com idade entre 10 e 20 anos, sendo considerado um problema de saúde pública dado sua magnitude e associação com a pobreza geracional e com o aprofundamento das iniquidades em saúde. A GA está associada à riscos obstétricos e neonatais, à dificuldades de acesso ao parto seguro, e à falta de oportunidades de educação e emprego para jovens. As desigualdades socioeconômicas, a dificuldade de vislumbrar um futuro autônomo e promissor, as desigualdades de gênero, a exposição a diferentes tipos de violências, somados à repressão eou exposição precoce à sexualidade, muitas vezes leva as adolescentes a ter dificuldade em planejar a vida reprodutiva e construir projetos de vida desvinculados da maternidade prematura. Contudo, as abordagens voltadas à prevenção da GA carecem de intervenções pautadas em práticas participativas e emancipadoras, capazes de produzir escolhas livres e informadas. A partir da experiência acumulada em pesquisas e intervenções nesta temática, este grupo tem por objetivo desenvolver práticas de educação popular em saúde para os adolescentes e jovens de 10 a 24 anos, estudantes da Escola Municipal Profa. América Abdalla de Rio das Ostras-RJ. Para tanto, a abordagem metodológica será orientada pelo modelo de promoção da saúde PRECEDE-PROCEED e conduzido por estratégias de educação por pares. Trata-se de uma proposta interdisciplinar ao englobar docentes de diferentes formações dos cursos de Serviço Social, Enfermagem e Psicologia. Este projeto deriva de uma proposta de pesquisa-ação colaborativa internacional, como também, se insere numa ação municipal de enfrentamento da violência.