Coordenador : Katia Faria de Aguiar
Ano: 2018
Publico Alvo : Estudantes do terceiro ano do Ensino Médio de um colégio público federal situado na cidade de Niterói (Colégio Pedro II - Campus Niterói) em processo de preparação para seleção de entrada no Ensino Superior.
Local de atuação: GSI
Resumo
A escolarização no Brasil, para além de marcadores de classe que atuam como divisor e distribuidor de estudantes entre as redes pública e privada de ensino, se caracteriza pela predominância de estratégias individualizantes, investindo os jovens de responsabilidade pelo sucesso ou fracasso em seu desempenho. O denominado vestibular é um momento no qual essas questões, dentre outras, se intensificam configurando uma experiência hostil e, frequentemente, solitária. Nela, encontramos modos de enfrentamento e também fragilidades para problematizar estas condições. A partir do que foi realizado pelo projeto em 2017 e considerando que a Psicologia, como ciência e profissão, está diretamente implicada na produção do modo hegemônico de avaliação do desempenho escolar (individualizando questões que são socialmente produzidas), o presente projeto de extensão tem por objetivo contribuir para potencializar as estratégias de enfrentamento das dificuldades geradas nas condições de escolarização, já adotadas pelos estudantes. Para tal, propõe-se realizar grupos de encontro e oficinas com integrantes do terceiro ano do Ensino Médio do Colégio Pedro II - Campus Niterói. A partir de questões/temas geradores, usaremos recursos como debates, exercícios reflexivos e práticas de experimentação corporal, visando: 1. ampliar o conhecimento dos participantes sobre os processos nos quais estão envolvidos e 2. pensar a sustentabilidade das tomadas de decisão geradas nos coletivos. Nossa aposta é a de que a cooperação e a partilha de dificuldades, bem como a construção coletiva de estratégias de enfrentamento, possam gerar novos entendimentos sobre a escolarização e o abrandamento de seus efeitos mais imediatos.