Coordenador : Renata Ximenes Lins
Ano: 2018
Publico Alvo : AÇÃO DE EXTENSÃO : Trabalho educativo-preventivo junto aos usuários e profissionais da saúde da rede pública do município de Nova Friburgo que serão orientados através de Palestras/capacitação, oficinas, folhetos explicativos e cartazes sobre os perigos da auto-medicação, especialmente no que concerne aos antimicrobianos. Além disso, receberão informações sobre o uso, manejo e descarte destas drogas. Serão incluídos também, os próprios alunos de graduação da Faculdade de Odontologia UFF/ Nova Friburgo, envolvidos no projeto, bolsistas e voluntários, como propulsores de informação à comunidade sob supervisão de professores orientadores (integrantes do projeto) AÇÃO DE ENSINO: Alunos do terceiro ao nono período de graduação em odontologia. AÇÃO DE PESQUISA: Alunos do terceiro ao nono período de graduação em odontologia.
Local de atuação: FFE
Resumo
Todo ano no Brasil cerca de 23 mil mortes acontecem por conta das superbactérias. Trata-se do terceiro país no ranking mundial na utilização de antimicrobianos, colocando em risco toda a sociedade brasileira. Além disso, a Organização Mundial da Saúde considera as superbactérias como grande ameaça global em saúde pública, pois são cada vez mais escassas as alternativas terapêuticas diante destas cepas. Portanto, o presente projeto pretende disseminar a importância do uso racional de antimicrobianos entre usuários dos serviços de saúde assim como entre profissionais da área. Infelizmente, ainda é grande a utilização inadequada desta classe medicamentosa, seja por falhas nas prescrições ou pelo hábito da auto-medicação. Desta forma, a extensão proposta seria uma ferramenta de articulação entre a universidade e a sociedade. Através de atividades de Educação em Saúde que visem à conscientização dos usuários que frequentam as Clínicas da Faculdade de Odontologia da UFF e Unidades de Saúde de Nova Friburgo, assim como dos graduandos da UFF e profissionais de saúde do Município, esperamos contribuir para as melhorias dos índices de resistência na população. Através da democratização do saber construído no universo acadêmico, poderão ser evitados possíveis malefícios decorrentes do mal-uso dos antimicrobianos e, consequentemente promovendo a saúde da comunidade. Por fim, pretende-se avaliar o impacto de tais ações na sociedade a longo prazo através de pesquisa acadêmica já em andamento na Faculdade de Odontologia, sob a mesma coordenação, e que trata da vigilância da resistência antimicrobiana entre micro-organismos da cavidade oral. Desta forma, integramos a extensão à pesquisa.