Coordenador : Dagmar de Mello e Silva
Ano: 2018
Publico Alvo : O projeto está voltado para pessoas cegas ou com deficiência visual, no intuito de melhorar a qualidade estética da audiodescrição de obras cinematográficas. Nosso público, também está voltado à formação de estudantes das diversas licenciaturas, Pedagogia e Bacharelado em Cinema e Audiovisual, no intuito de sensibilizá-los para as demandas de acessibilidade cultural (especificamente o cinema) de pessoas cegas ou com Deficiência Visual. Nesse estágio inicial do projeto fica inviável estabelecer valores numéricos de sua abrangência.
Local de atuação: SFP
Resumo
A áudio-descrição é o recurso de acessibilidade que permite às pessoas cegas ou com deficiência visual se tornarem espectadores emancipados frente a conteúdos audiovisuais. Esse direito passou a ser assegurado no ano de 2015 com a publicação em DOU da Lei nº 13.146 - Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência), destinada a assegurar e a promover, em condições de igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais por pessoa com deficiência, visando à sua inclusão social e cidadania. Foi pautado no Capítulo IX, da referida lei, ao se referir ao direito à cultura, ao esporte, ao turismo e ao lazer, que propomos esse projeto de extensão que tem como objetivo criar um laboratório de experimentação de técnicas de áudio-descrição. Essa proposta surge da problematização das tradicionais técnicas de áudio-descrição vigentes no mercado que muitas vezes não atendem demandas estéticas de obras cinematográficas, para o público referido. O objetivo da criação deste laboratório consiste em produzir áudio-descrição de filmes através de uma estética de tradução sonora das imagens em movimento, que possibilite aos espectadores cegos uma relação criadora, de sentidos próprios com as imagens. Trata-se de uma abordagem que pretende dialogar com as intenções estéticas propostas pelos diretores, em suas obras, a fim de promover acessibilidade e emancipação na audiência, de pessoas cegas, com a chamada sétima arte.