Coordenador : José Paravidino de Macedo Soares
Ano: 2018
Publico Alvo : Para assistência/prestação de informação especializada: População do Estado do Rio de Janeiro – população do Estado do Rio (população estimada/2009: 16.010.386 - Fonte: DATASUS, 2009); Para informação sobre condutas: profissionais de saúde do Estado do Rio de Janeiro; Para notificações e vigilância: SINITOX (Sistema Nacional de Informações Toxicológicas), ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária); RENACIAT (Rede Nacional de Centros de Informação e Assistência Toxicológica); Para Educação/Capacitação/Treinamento: Graduandos da área de Saúde (Medicina, Farmácia, Enfermagem, Biologia e Medicina Veterinária) - 30 alunos ou mais por ano, em média, Graduados, sob demanda e em projetos específicos. OUTROS: Instituto Vital Brasil: capacitações conjuntas, projeto em desenvolvimneto (vide Relatório); cooperação técnica e institucional. Ministério Público: atendimento a demandas diversas relacionadas às notificações de intoxicações agudas e avaliação de saúde de populações expostas a agrotóxicos, além de participação no Fórum Estadual de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos. Na estimativa da quantidade de pessoas nas categorias dos tipos de público optou-se por definir apenas o público interno da ação, considerando as suas características e dificuldade de especificar precisamente o número de pessoas nas demais categorias - 30 alunos ou mais por ano, em média. Assim, os demais foram incluídos em outros, e incluem a população à risco no Estado (toda a população).
Local de atuação: HUAP
Resumo
As intoxicações constituem um importante problema de saúde pública no Brasil e no mundo. O CCIn Niterói, desde o final da década de 1980 vem contribuindo para o conhecimento do perfil das intoxicações, melhoria no diagnóstico e tratamento, com consequente diminuição da morbi-mortalidade referente às intoxicações agudas no Estado do Rio de Janeiro, sendo atualmente o único CIAT do Estado. O CCIn é integrante da Rede Nacional de Centros de Informação e Assistência Toxicológica (RENACIAT), sendo Centro de referência da OPAS e OMS (Programa Internacional de Segurança Química - IPCS) para atendimento de emergências químicas, conforme consta na página do IPCS/WHO. Os objetivos principais do Projeto são: 1.Prestar informações especializadas/assessoria/apoio para diagnóstico e conduta dos casos de intoxicação atendidos nas emergências e demais serviços de saúde de todo o Estado; 2.Conhecer o perfil epidemiológico e contribuir para a redução da morbidade, mortalidade e sequelas relacionada às intoxicações no Estado; 3.Gerar e disponibilizar dados para a Toxicovigilância, de forma a subsidiar a tomada de decisão dos gestores públicos de saúde; 4.Capacitar acadêmicos das áreas de medicina, enfermagem, farmácia, medicina veterinária e biologia, a prevenir, atender, orientar e tratar casos de intoxicação; 5.Difundir o conhecimento na área de Toxicologia, contribuindo para a melhoria na qualidade do atendimento aos pacientes intoxicados; 6.Desenvolver atividades integradas de Ensino-Pesquisa-Extensão de forma multidisciplinar, promovendo uma experiência única de capacitação em toxicologia e no trabalho multidisciplinar característico da área, complementar à formação curricular.