Coordenador : Nivia Valença Barros
Ano: 2018
Publico Alvo : O Programa UFF Mulher visa a levar atividades voltadas para a reflexão, prevenção e capacitação de agentes públicos, privados, como também, para o mais amplo segmentos da sociedade, sobre questões relativa a saúde da mulher e sobre seus direitos, fomentando-se debates acerca das questões da mulher no contexto atual, visando dar continuidade às discussões iniciadas em 2010, em torno desse tema de relevante importância social. Para tanto, trabalha com dois tipos de públicos-alvo: - Comunidade interna: docentes, discentes e técnicos da UFF, ressaltando pesquisadores ligados ao Núcleo de Pesquisa Histórica e proteção Social e Núcleo de Direitos Humanos e Cidadania; - Comunidade externa: participantes de atividades que acontecerão em espaços públicos, e voluntários (membros de organizações da sociedade civil, de movimentos sociais e da comunidade em geral).
Local de atuação: CDFE/EX
Resumo
Ao lado de diversas conquistas obtidas por mulheres nas últimas décadas convive-se com as mais variadas formas de violência – sexual, física e psicológica/emocional –, com diversas situações discriminatórias, de exploração e de violação dos direitos humanos. As situações que envolvem violação dos direitos humanos e, em especial, a violência contra a mulher, principalmente a violência doméstica, são carregadas de representações que, em muitos casos, colaboram para a manutenção do silêncio e banalização da violência. Entretanto, estas situações também provocam indignação e repúdio, que geram tanto denúncias dos casos existentes quanto procura de ajuda. Grande parte dos estudos e pesquisas no Brasil ressalta a gravidade da questão das violações de direitos e da violência contra a mulher, que independe de classe social, de credos religiosos, de etnias (ver: Marcadas a Ferro – Brasília: Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, 2005. 260p.). As extensas e a diversidade de abusos e violações, nem sempre são fáceis de serem detectados e de complexa resolução, pois ocorrem em espaços públicos e privados, onde se mantém algum vinculo de familiaridade e de reconhecimento. Tratar de direitos humanos é pensar sobre que sociedade estamos construindo e qual é nosso comprometimento com a consolidação da cidadania e para todos os seus membros.