Coordenador : Sandra Mara Silva Brignol
Ano: 2019
Publico Alvo : Comunidade acadêmica da UFF Comunidade acadêmica de faculdades particulares de Niterói Profissionais de saúde da Rede SUS municipal, estadual e Federal. Público do Movimento social LGBTI da cidade do Rio de Janeiro e Niterói.
Local de atuação: MEB
Resumo
O panorama atual relacionado a saúde das pessoas LGBTI, descrito na literatura acadêmica e em dados da Organização Mundial da Saúde e dos movimentos sociais, revela um histórico de estigmatização e violação dos Direitos Humanos (DH) destas pessoas. Assim ocorre um afastamento destas pessoas dos serviços básicos de saúde, inerentes aos DH. O preconceito e o desconhecimento acerca dos problemas de saúde das pessoas LGBTI, por parte dos profissionais de saúde, colabora para um atendimento em descompasso com as prerrogativas constitucionais e do SUS, tendo um impacto negativo no acesso à saúde pública. Nota-se que é urgente promover espaços de discussão e formação dos profissionais de saúde acerca das inúmeras questões que permeiam o a saúde da população LGBTI. Existem especificidades que precisam ser conhecidas pelos profissionais e estudantes a fim de prover um atendimento de qualidade e equânime no SUS. A Sensibilização e preparação técnica devem iniciar na formação dos profissionais de saúde, o que pode promover uma melhoria gradual na qualidade do atendimento. Assim as atividades propostas neste projeto visão contribuir para formação dos profissionais de saúde, bem como de formação continuada, garantindo espaços de discussão e atividades, pela ótica da Saúde Coletiva. Tais ações e espaços constituem seminários, cine-debates, rodas de conversas e cursos e oficinas de formação complementar, sensibilização para questões de saúde desta população, produção de material informativo, entre outras. Serão abordadas diretrizes, manejo, acolhimento e cuidado bem como as principais questões de saúde da população, as dificuldades enfrentadas, avanços conquistados e demais problemáticas Pertinentes.