Coordenador : Armando Cypriano Pires
Ano: 2019
Publico Alvo : O projeto visa atingir o corpo discente, docente e técnico administrativo da Universidade Federal Fluminense, por meio de apresentação durante a Semana de Extensão, divulgação de mídias do projeto, publicação de artigos, entre outros. Fora do meio acadêmico, nosso objetivo é atingir grupos comunitários rurais e das periferias das urbes que possuem acesso inadequado ao saneamento, promovendo práticas de processos participativos e disseminação de saberes e tecnologias dentro da comunidade. Espera-se nesta atividade envolver também trabalhadores das unidades de saúde e escolas locais, bem como técnicos institucionais do município. O Inventário digital alcançará inicialmente os Grupos Formativos em Saneamento Ecológico identificados ao longo do ano. No segundo semestre entrará na rede o primeiro protótipo. Buscará diálogo com outros portais e sítios como o da Agrocecologia em Rede e a rede Sustainable Sanitation Aliance (SuSanA).
Local de atuação: MPS
Resumo
A universalização dos serviços de saneamento básico é um dos princípios da Lei nº. 11.445/2007 e reconhecemos como direito. Nesse contexto é fundamental fortalecer o papel do cidadão como ator político e social participando das etapas de diagnóstico e elaboração de propostas centradas em tecnologias eficientes e sustentáveis, que melhorem sua qualidade de vida, saúde e trabalho. Promover a construção compartilhada de respostas tecnológicas, em um criativo diálogo entre a dimensão técnica baseada nos preceitos da eco-sustentabilidade (eficiência, reprodutibilidade, praticidade de manutenção e centrada em matéria prima local) e as respostas já vivenciadas pela população local (referenciadas em seu processo histórico-cultural-social). Buscando garantir a soberania, identidade e território dos povos tradicionais: ribeirinhos, quilombolas e indígenas. Este projeto com foco no domínio do espaço construído, na permacultura e na promoção de saúde, objetiva promover o uso de ferramentas e tecnologias adequadas para reaproveitamento de água como captação de água pluvial, tratamento de efluentes como filtro biológico e outras. Busca iniciar inventário digital sobre as experiências em Saneamento Ecológico possibilitando ampliação do conhecimento técnico, divulgação acadêmica e formação universitária.