Coordenador : Elias Ribeiro de Arruda Junior
Ano: 2019
Publico Alvo : Público interno da Instituição UFF refere-se: aos integrantes inscritos no Núcleo de Estudos, 08; 1 estudantes de graduação beneficiários com orientação compartilhada no Núcleo e 1 estudantes de pós graduação também beneficiados pela orientação dos professores; 1 Técnico administrativo participante. Na IV Feira de Saberes Agroecológicos estima-se 200 beneficiários, que participam da feira como feirantes (20) e como fregueses (90 por dia, total 180); Também descrevemos os agricultores e agricultoras beneficiários da Reforma Agrária, no município de São Gonçalo (2 pessoas); Na APA de Guapimirim estima-se a participação direta de 04 pessoas principalmente em reuniões de acompanhamento e assessoria em Agri-Culturas, envolvidas com o desenvolvimento de geotecnologias. Em Belém e Oriximiná-PA estima-se 3 pessoas em escolas do campo (Creche). Ao longo da execução da ação estima-se 1 pessoas envolvidas (oriundas de ONG, sindicatos, técnicos do serviço público municipal, estadual e federal). São 250 pessoas da comunidade externa a UFF beneficiadas pela atuação direta deste Projeto, sendo 50 feirantes; 60 fregueses; 120 alunos; 15 professoras; 5 quintaleiros.
Local de atuação: GAG
Resumo
Esse projeto tem como principal objetivo dar suporte as questões ambientais voltadas a agricultura urbana e agroecologia através do ferramental das geotecnologias, no âmbito das várias frentes tratadas pelo Núcleo Pacha Mama no Departamento de Análise Geoambiental, Instituto de Geociências da UFF. As áreas foco desse estudo, em primeira instância são os municípios de Niterói, Itaboraí, São Gonçalo e Magé, no estado do Rio de Janeiro e os municípios de Belém e Oriximiná, no estado do Pará. As atividades propostas além de dar ferramentas eficazes aos discentes no apoio a resolução dos vários problemas ambientais, integram de forma eficiente e produtiva, o conhecimento produzido na pesquisa acadêmica a prática e ao conhecimento empírico dos agricultores das comunidades envolvidas. Na práticas, serão identificadas Feiras Livres que expressem a transição agroecológica nas suas bancas, pela atividade de Feirantes que trazem sua própria produção, sem uso de agrotóxicos, para comercializar nas cidades, principalmente em Itaboraí, como foco dos estudos de pesquisa e ação de extensão. Da mesma forma, os produtos cartográficos contribuirão para caracterização de Quintais, a partir do Quintal da Escola, em uma Escola do Campo de Itaboraí - RJ. Os resultados esperados dessa proposta são, em primeiro lugar, o maior poder, agilidade e exatidão no processamento de dados cartográficos e produtos de sensoriamento remoto, bem como os produtos cartográficos gerados para as áreas atendidas.