Coordenador : Karla Regina Oliveira de Moura Ronchini
Ano: 2020
Publico Alvo : As atividades de pesquisa e ensino terão como objetivo atender às demandas de saúde da sociedade, e dessa forma contribuir para a qualificação de profissionais para a abordagem dos agravos em saúde no campo da Infectologia. Levar-se-á em consideração, a integralidade do cuidado e haverá a geração de produção científica socialmente evidenciada. As ações de extensão, por sua vez, têm como objetivo a inserção dos estudantes na comunidade para que os mesmos possam interagir com as pessoas e definirem, em conjunto, as atividades de interesse que atendam às demandas daquela população. Será dada importância aos termos do controle social no Sistema Único de Saúde (SUS), cuidado em saúde, estratégias de prevenção, promoção e ensino em saúde, além de ter como base os principios da integralidade,da universalidade e da equidade, que são considerados os pilares do SUS.
Local de atuação: MMC
Resumo
A Liga Estudantil de Infectologia é um programa de extensão que, dentro da perspectiva discente e social, busca promover a discussão de assuntos na área da Infectologia que são imprescindíveis a qualquer médico. Concomitantemente, tem o objetivo de fomentar ações de promoção à saúde na comunidade dentro do contexto das doenças infecciosas e parasitárias, atendendo assim demandas por vezes negligenciadas. Essa forma de capacitação do estudante determinará uma melhor abordagem do aluno como um agente de promoção à saúde, o que será um determinante na participação da transformação social. Além disso, busca também alavancar projetos de pesquisa que possam inserir os alunos em um contexto de desenvolvimento do conhecimento o qual, por fim, pode desencadear processos de intervenção baseados na observação do cotidiano. A Liga busca abranger, ao mesmo tempo, graduandos e grupos populacionais específicos situados em um ambiente extra universitário. Assim, espera-se desenvolver, junto aos estudantes, conhecimentos que complementam e enriquecem a sua formação como futuros médicos. Ademais, espera-se diminuir a distância entre o ambiente universitário e a comunidade, gerando condições que permitam a propagação bilateral do conhecimento e a promoção de saúde entre os grupos envolvidos. Sendo assim, a criação de um programa com relevância social, com espaço para a construção do conhecimento, da experimentação das formas de cuidado e que corrobore com as necessidades básicas da população, será fundamental para a compreensão do processo saúde-doença e que resultará em futuros profissionais habilitados para lidar com as realidades sociais.