Coordenador : Gleyce Moreno Barbosa
Ano: 2020
Publico Alvo : O público-alvo compreenderá indivíduos que tem acesso à internet, e consequentemente, terão acesso às plataformas e redes sociais desenvolvidas no projeto, pois estes representam o principal meio de divulgação e difusão do conhecimento pela estratégia adotada, que inclui blog, e redes sociais, como facebook, instagram e twitter. O público alvo compreende a comunidade interna da UFF, e a comunidade externa. Não é possível dimensionar o número exato de indivíduos que serão alcançados com a ação, pois constitui uma ação de divulgação através da internet. A estimativa apresentada no quadro provavelmente está abaixo do número de indivíduos que realmente serão alcançados através da ação proposta durante o ano. As oficinas presenciais serão realizadas em eventos promovidos pela UFF e em locais, como escolas e unidades de saúde, que apresentem interesse em difundir este tema para seus profissionais de saúde e usuários dos serviços de saúde. Além disso, o NEPIC está promovendo a Mostra PICS, que é um evento presencial direcionado à comunidade interna e externa da UFF. Em cada evento, a estimativa é atender entre 15 e 30 pessoas.
Local de atuação: MTC
Resumo
As Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS) foram contempladas em uma política nacional, proposta pelo Ministério da Saúde, a partir de 2006. Os objetivos da política incluem a ampliação da assistência no Sistema Único de Saúde (SUS), assim como a expansão de ações de ensino, pesquisa, extensão e gestão. Atualmente a política contempla vinte e nove práticas, entre elas: homeopatia, medicina tradicional chinesa, ayurveda, yoga, meditação e reiki. Uma das principais questões relacionada a tais práticas deve-se à visão equivocada da ausência de evidências científicas na área, além de informações errôneas difundidas pela mídia, que visam trazer uma imagem negativa das práticas, sem valorizar os benefícios diretos aos pacientes. Esses são apenas dois aspectos que impactam negativamente na credibilidade e na oferta das PICS para a população, através do SUS. Entretanto, o que se observa na atenção básica em saúde é justamente o contrário: os pacientes apresentam melhor qualidade de vida após a abordagem terapêutica com PICS. Portanto, esse projeto visa realizar um importante movimento de difusão de informação científica correta, incluindo a busca de artigos científicos, e a tradução para uma linguagem acessível à população, informando o que tem sido realizado no âmbito da pesquisa. Essa divulgação será realizada através de mídias digitais e redes sociais, incluindo blog, instagram, facebook e twitter. O projeto visa contribuir com o esclarecimento da população, demonstrando a possibilidade de utilizar outras racionalidades médicas e recursos terapêuticos no cuidado à saúde e autocuidado, além da medicina hegemônica alopática.