Coordenador : Lurdes Perez Oberg
Ano: 2020
Publico Alvo : O público alvo inicial será de dez jovens da comunidade rural de Cafuringa e os discentes do projeto. Os(as) jovens estão no ensino fundamental e médio da rede pública municipal e vivenciam por motivos de condições de vida precárias, uma exclusão da participação das áreas públicas da cidade. Além disso, teremos duas estagiárias da equipe de Práticas Comunitárias em Comunidades Rurais e discentes da pesquisa sobre Práticas Comunitárias participando do projeto. Está prevista para o desenvolvimento desse projeto a articulação entre os docentes e discentes dos outros cursos de graduação da universidade. Faremos a partir das necessidades desse trabalho o contato com o Centro de Referência de Assistência Social que fica próximo à comunidade rural de Cafuringa, com a Fundação para a Infância e a Adolescência e a Secretaria de Promoção de Políticas de Igualdade Racial. Destaca-se como importante as contribuições da Comissão Pastoral da Terra e de outros movimentos sociais.
Local de atuação: CPS
Resumo
Esta proposta foi iniciada em 2018 e pretende-se dar continuidade ao projeto. Seu objetivo geral é aproximar os (as) jovens moradores da área rural do território de Campos dos Goytacazes, da comunidade acadêmica e propiciar aos mesmos o viver comunitário nesse universo. Os jovens participantes desse projeto são moradores da localidade rural de Cafuringa, no distrito de Travessão. Considera-se a emergência da pandemia COVID-19 e as possibilidades de contatos via telefonia celular ou on-line com os jovens. Analisa-se as questões que poderão emergir a partir desse novo acontecimento. Acrescenta-se, ainda, apresentá-los as distintas propostas existentes nos cursos de graduação e suas respectivas temáticas de relevância na atualidade brasileira. Pode-se destacar dentre algumas delas a agricultura familiar, a economia solidária, a educação popular, a saúde mental, o racismo, etc. Salienta-se a relevância acadêmica e social de facilitar o acesso de jovens rurais a uma universidade pública gratuita e de qualidade, acolhendo o protagonismo social entre os jovens universitários e os jovens rurais. Prioriza-se, ainda, o conhecimento e a possibilidade de engajamento à política pública que respalda o conhecimento que esteja sendo compartilhado naquele momento no projeto. Valoriza-se uma metodologia dialogada e interdisciplinar, propiciando espaços de participação, diante de assuntos complexos na realidade brasileira. A Psicologia Social Comunitária a partir de um referencial freireano oferece elementos conceituais importantes para o público a que se destina este projeto. Pretende-se, ainda, com este projeto dar visibilidade a realidade de jovens rurais, fortalecendo formas próprias de organização, tentando ir além da hierarquia rural-urbano.