Coordenador : Bettina Monika Ruppelt
Ano: 2020
Publico Alvo : O Projeto Plantar tem como público-alvo crianças e adolescentes atendidos pelo CAPSI - Monteiro Lobato e seus familiares. São crianças e adolescentes que apresentam quadros psíquicos como autismo, além de casos em que o quadro de sofrimento psíquico faz com que os usuários se coloquem em situação de risco social; e adolescentes que estão acolhidos na Unidade de Acolhimento Infanto-juvenil. O Projeto Plantar abrange os dois públicos-alvo, em diferentes momentos de funcionamento. O mais frequente deles configura uma Convivência, que é direcionada a todos usuários que estão no serviço, aguardando seus atendimentos individuais, conversas dos responsáveis com os técnicos de referência ou após os atendimentos. O segundo momento do Projeto Plantar acontece junto aos responsáveis pelos usuários, que geralmente são as mães.
Local de atuação: MTC
Resumo
O Projeto Plantar atende cerca de 15 crianças e adolescentes do Programa de Saúde Mental do Município de Niterói-RJ e usuários do Centro de Atendimento Psicossocial Infanto-Juvenil (CAPSI) – Monteiro Lobato. O projeto visa incentivar o uso racional de plantas medicinais pelos usuários e seus familiares. As atividades propostas visam aumentar a interação entre a equipe e o público-alvo de forma a proporcionar a troca de saberes e a interação dialógica em tempos de distanciamento social. Serão utilizados recursos acessíveis a todos os participantes. Quando necessário a realização de atividades presenciais, os protocolos de segurança determinados pelas Instituições serão seguidos. Uma caixa de sugestões ficará exposta na recepção do CAPSI-Monteiro Lobato. As sugestões de temas, atividades e dúvidas servirão de base para a elaboração de postagens no Instagram®, WhatsApp® e Facebook®. Serão elaborados dois cadernos de atividades para as crianças e os adolescentes e dois livros de receitas para os responsáveis. O material de divulgação será elaborado pelos estudantes, técnicos e docentes da Universidade Federal Fluminense e entregue aos usuários pelos profissionais de saúde. Mudas serão plantadas no CAPSI pelas crianças e adolescentes nos momentos que antecedem o atendimento presencial. Espera-se que as crianças, os adolescentes e seus familiares sejam agentes de transformação contribuindo na divulgação do uso racional de plantas medicinais e fitoterápicos.