Coordenador : Alba Cristina Miranda de Barros Alencar
Ano: 2020
Publico Alvo : O público-alvo de estudo deste projeto abrange pacientes diagnosticados como portadores do vírus HIV e/ou com AIDS e seus principais familiares que convivem no mesmo domicílio e são assistidos pelo Instituto Casa Maria de Magdala. Cerca de 150 famílias serão convidadas a participarem das ações. Os participantes da pesquisa deverão atender aos seguintes critérios: 1– Pacientes com teste confirmatório para HIV. 2 – Pacientes que estejam com AIDS no momento da pesquisa. 3 – Parente ou companheiro não reagente para HIV que conviva no mesmo domicílio que o paciente HIV e/ou AIDS no momento da pesquisa. 4 – Pacientes ou membros da família (pelo menos um adulto e uma criança não infectada pelo HIV) que sejam frequentadores da assistência da Casa Maria de Magdala. Esse projeto é de baixo risco, já que serão necessárias apenas amostras de fezes obtidas através de coleta de forma adequada pelos participantes da pesquisa. Os participantes serão entrevistados pelo graduando e professora do estudo a fim de preencher uma ficha (questionário) com dados demográficos e clínicos dos voluntários envolvidos na pesquisa. Nesse questionário serão avaliadas as condições sanitárias e de saúde aos quais os participantes estão submetidos. Quanto aos benefícios da pesquisa em relação aos riscos são maiores, já que o estudo poderá identificar as parasitoses (com diagnóstico morfológico e molecular) de forma totalmente gratuita nos portadores (assintomáticos ou não) que convivem com os pacientes HIV e/ou AIDS, contribuindo para um tratamento adequado e orientações sobre métodos de prevenção e controle. A participação de atividades sobre educação e saúde também são consideradas benefícios, pois poderá promover internalização de métodos preventivos das principais parasitoses, o que consequentemente poderá mudar suas posturas em relação à higiene e cuidado com si mesmo. Essa mudança poderá transformar a realidade de cada indivíduo, deixando-o menos suscetível. A presente proposta de extensão está vinculada a um projeto de pesquisa que foi submetido e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal Fluminense.
Local de atuação: MPT
Resumo
As parasitoses constituem um problema de saúde pública, devido ao difícil acesso pela população em vulnerabilidade social, ao saneamento básico e à educação. A presença de parasitoses oportunistas em pacientes HIV/AIDS pode causar transtornos na qualidade de vida. O Criptosporidium spp é o principal agentes causadores de diarreia em imunossuprimidos, apresenta diversidade genética e diferentes graus de virulência. É possível que pessoas que coabitam com portadores de HIV estejam infectados com endoparasitos, mas sejam assintomáticos, logo essa convivência pode ser um risco em potencial para esses imunossuprimidos. Uma ação extensionista junto à comunidade, que é carente em tantos sentidos, poderá provocar uma transformação na vida do portador do vírus HIV, dos seus familiares e, ademais, na vida do graduando que terá através desse projeto a oportunidade de elaborar a práxis do conhecimento acadêmico. Objetivamos possibilitar a promoção em saúde e desenvolver metodologias educativas para os portadores HIV/AIDS assistidos por uma instituição filantrópica de Niterói. Pretendemos nos atentar na discussão de temas como saneamento básico, higiene e ter como diferencial apresentar, para tal, uma educação em saúde sob uma perspectiva ampla e crítica. Serão realizados exames parasitológicos e também técnicas de biologia molecular como a PCR em tempo real para o diagnóstico diferencial de Cryptosporidium hominis e C. parvum, em amostras de fezes e a PCR para estudo dos genótipos e subgenótipo desses organismos. Os voluntários serão favorecidos, pois além de obter o diagnóstico parasitológico gratuito, terão esclarecimento a respeito de medidas profiláticas das parasitoses e encaminhamento ao tratamento.