Coordenador : Elisabeth Martins da Silva da Rocha
Ano: 2020
Publico Alvo : O publico-alvo constitui populações de áreas endêmicas para a esporotricose, uma zoonose negligenciada que atingiu proporção hiperendêmica no estado do Rio de Janeiro, residentes em regiões distintas do município de Niterói , adjacências (Região Metro II-Leste Fluminense) . -Protetores responsáveis por gatis e ONGs e tutores de animais (gatos e cães) que buscam atendimento a fim de obter informações sobre a doença, orientações referentes ao tratamento e avaliação clínica e diagnóstico laboratorial, além de precauções contra a disseminação ambiental, para outros animais e membros da família. -As ações previstas permitirão ainda a vivência prática do aprendizado por estudantes de medicina veterinária, tanto na assistência à população e de seus animais, quanto nas atividades laboratoriais e voltadas para a educação em saúde.
Local de atuação: MIP
Resumo
A esporotricose é uma zoonose negligenciada que assume proporções hiperendêmicas no Rio de Janeiro, afetando o homem e os felinos domésticos, levando a determinação da notificação compulsória neste estado. É contudo sabido que essa micose afeta grande número de hospedeiros, também fora da área metropolitana da capital. Nossas ações em parceria com a prefeitura municipal de Niterói, junto ao Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), preveêm o atendimento ambulatorial de felinos com lesões suspeitas de esporotricose, a coleta de amostras clínicas para o posterior diagnóstico laboratorial com o isolamento do agente em cultura que constitui o padrão ouro diagnóstico. Com a instalação de uma nova sede da Seção de Controle da População Animal do Setor de Vigilância de Zoonoses, será possível retornar nossas atividades de atendimento seguindo normas de biossegurança exigidas pela epidemia de COVID-19. Com a retomada dessas ações serão oferecidos aos tutores dos animais acometidos, atendimento e diagnóstico laboratorial gratuitos, cruciais para o enfrentamento da doença. Serão retomadas também as pesquisas sobre o agente e a epidemiologia da doença. Estarão envolvidos a Universidade Federal Fluminense, por meio de seus docentes, pós-graduandos e discentes vinculados aos cursos de graduação em medicina veterinária e outros cursos, em interação com o Centro de Controle de Zoonoses de Niterói, região metropolitana do RJ. No âmbito de suas ações o projeto pretende promover aos discentes o equilíbrio entre teoria e prática com diversificação dos cenários de aprendizagem; ao mesmo tempo articulando ensino, pesquisa e extensão, democratizando o conhecimento acadêmico.